terça-feira, 27 de abril de 2010

caia, vou quebrar o protocolo: vou te escrever sem ter recebido resposta da última carta. É necessário. Engraçado como este blog criou imperativos para mim. Escreve!, ele me diz, e eu só posso escrever, não tenho opções. É vital escrever aqui, um beco sem saída.
O Augusto acabou de sair daqui. Estivemos desde ontem à noite trabalhando, conversando, divagando, escrevendo, cantando, escutando nossos preferidos, dançando doidivanamente pela sala. É interessante o sopro de vida que o Augusto me dá! Por mais problemas que tenhamos, vê-lo me dá vontade de largar todo o resto para escrever poemas, cantar, falar da vida, de problemas existenciais ou rir compulsivamente.
Quando ele saiu pela porta, estava tocando "Joana Francesa", do Chico, na voz da Elis. Uma atmosfera de sonhos, incompatível com toda a realidade que me circunda.
A arte é cada vez uma necessidade na minha vida. Vê-la, ouvi-la, fazê-la. Não tenho mais como fugir. E parece que isso me condena a uma eterna insatisfação quanto ao resto. Amanhã o dia será árduo e somente à noite, felizmente os três juntos, poderemos "consumir" um pouco de arte que valha a pena.
Ando pensando seriamente em mudar de vida, ousar, tentar o novo, o improviso, o inesperado. Há muito tempo não penso mais ser dividida em duas... esta multiplicidade que somos me assusta... como dizem Deleuze e Guattari, "como cada um de nós era vários, já era muita gente.". Plenamente cabível para nossas vidas.
Ando levando a cabo essa ideia de multiplicidades. Se antes eu escrevia no ELA somente poemas, agora há um monte de coisas lá. As pessoas devem estar achando que eu enlouqueci. E, em parte, foi o que houve. Não quero mais negar os meus vários eus e assumir isso é uma loucura mesmo. Minha mãe anda me achando estranha, perguntou hoje se eu estava usando drogas. Quem precisa de drogas para enlouquecer se há um imperativo de escritura, se há uma compulsão pelo novo, pelo nunca antes visto?
Ando desorganizada interna e externamente.
Com carinho, jana

3 comentários:

Tear de Sentidos disse...

Que mudança maravilhosa esta na tua vida, Janinha!!!!!
Vai em frente!!!
Bjoca no Augusto!!!
Bj pra ti e pra Lu!
Tê!

augusto disse...

Amigas... Acabei de entrar para concluir nosso encontro passado, naquele ambiente de penunbra, vícios e ilusões... e me deparei com a escritura de jana para lu (última)... lágrimas escorreram no meu rosto... de alegria, pois é confortável saber que uma pessoa por quem eu tenho grande carinho e admiração diz coisas desse tipo a meu respeito... bom, borboletas "amarelas", tempestade de bananas e "verborragias" se misturam e me ajudam a fugir do labirinto... obrigado! e que eu entre em outro! já que o emaranhado de sentidos e de caminhos me seduz... e continuo querendo o inatingível, ou, como diz minha musa CL, a "quarta dimensão da palavra", os "instantes-já"... por isso continuo... continuamos!
O dia hoje me parece propício a uma energização solar, que nos faça permanecer... e mutar! Que bom... que interessante e bonito saber que vcs estão aqui, ali... e eonde for o lugar que eu vá...
Queridas (in)completas... não cansarei de agradecer... e ontem foi extremamente delicioso ter estado na companhia de vcs... junto da quase completa grazi é claro... em meio àquelas fumaças e luzes... com aquele som de fundo... naquele insatante-já tive o entendimento de que o lá fora não existia... hoje, volto à realidade... mas transformado... ainda bem! e que isso aconteça em todos os "instantes-já" da nossa vida... não poço continuar o mesmo, renego essa possibilidade... quero a força e a delicadeza do novo... da metamorfose... e, desse modo, continuarei dentro e fora do labirinto...
amo vcs, suas (in)completas...
açucar!!!! e borboletas lilás... a cho que o momento pede essa cor...
do (incompleto)... não quero mais os parênteses sufocando o prefixo!!!...
augusto

augusto disse...

correção: posso... e não poço... mas até gostei do poço... quem sabe!